Mota Pastas Cerâmicas, S.A.


Designação do projeto | LIFE4STONE: Valorização de resíduos e subprodutos da transformação da pedra natural para produtos de construção
Código do projeto | CENTRO-01-0247-FEDER-047067
Objetivo principal|OT1 – Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação
Região de intervenção | CENTRO
Entidade beneficiária | MVC – MÁRMORES DE ALCOBAÇA LDA
Data de aprovação | 2020-12-18
Data de início | 2020-12-01
Data de conclusão | 2023-06-30
Custo total elegível |661 547,11€
Apoio financeiro da União Europeia | FEDER | 468 071,23€

 

O objetivo do projeto LIFE4STONE é desenvolver soluções para o reaproveitamento dos resíduos gerados na extração e no corte das rochas ornamentais, através da sua incorporação em materiais de maior valor acrescentado, e contribuindo para a resolução de um dos principais constrangimentos da indústria das rochas ornamentais, em ambas as suas componentes (extrativa e transformadora).

Uma parte significativa dos resíduos produzidos assume o formato de lamas, constituídas por pós de muito pequena dimensão, provenientes do corte e serragem da pedra, e de peças granulares de maiores dimensões.

Pretende-se estudar e caraterizar soluções em duas vertentes a desenvolver em paralelo: a incorporação de lamas nas pastas utilizadas como matéria-prima em indústria cerâmica e o desenvolvimento de compósitos que integrem os resíduos e que permitam produzir peças de mobiliário urbano


Designação do projeto | PROJETOS AUTÓNOMOS DE FORMAÇÃO
Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, apoiada pelo FSE, nos termos do Aviso para Apresentação de Candidatura n.º 10/SI/2020

Código do projeto | 113452
Objetivo principal| OT 8 – Promoção da sustentabilidade e da qualidade do emprego e apoio à mobilidade dos trabalhadores
Região de intervenção | CENTRO
Entidade beneficiária | MOTA PASTAS CERÂMICAS, S.A.

Data de aprovação | 2021-12-28
Data de início | 2021-07-21
Data de conclusão | 2023-04-21
Custo total elegível | 72.193,56€
Apoio financeiro da União Europeia | FEDER | 35 158,56€

 

Suportado na introdução de novos produtos no mercado bem como a resposta ao cliente são fatores-chave de competitividade e investimento que a empresa tem feito, numa aposta em projetos de I&D, aumento da sua capacidade produtiva e melhoria contínua. A globalização do setor e consequente entrada no mercado de produtos mais baratos oriundos de economias com custos de produção mais baixos, bem como a contrafação, coloca em causa a competitividade das empresas europeias. A Inovação contínua assume-se assim como o principal fator crítico de competitividade na diferenciação/sofisticação dos produtos. A empresa, em colaboração com alguns dos seus principais parceiros (entidades do SI&I e empresas), assegura o constante desenvolvimento de produtos, com características diferenciadoras e maior valor acrescentado, que lhe imprime uma posição de liderança industrial.

 

Assim, este projeto tem por objetivos contribuir para o desenvolvimento das competências comportamentais e atitudes das pessoas, para que se crie um ambiente onde a comunicação flua e as equipas funcionem como uma só. Para superar a necessidade de inserção na economia digital e desmaterialização de processos, é elementar ter pessoas com competências digitais, capazes de responder à evolução e investimentos que a empresa tem feito neste campo, que se sinta comprometida Formulário Portugal 2020 com a mudança tecnológica e que tenha uma participação ativa de todos, para que a digitalização da empresa possa acontecer. É também alvo deste plano formativo, através do reforço de competências para a otimização de processos produtivos, planeamento, a introdução de metodologias que permitam aumentar a eficiência dos processos, para resposta ao investimento em otimização de processos, alterações de layout, que a empresa tem feito. A Sustentabilidade da empresa passa ainda pela preocupação na gestão de recursos, não só pelos custos que acarretam, mas também em pelo respeito pelo clima, sendo importante o desenvolvimento de atitudes de poupança de recursos, como energia, água ou materiais. O bem-estar dos trabalhadores é também uma preocupação da empresa, já que os custos são elevados, bem como os investimentos que a empresa faz neste sentido – equipamentos produtivos seguros, de proteção individual e coletiva, pelo que é importante que as pessoas desenvolvam atitudes proactivas e responsáveis, que mitiguem o risco de acidentes. Para que a estratégia possa levar a empresa a encetar processos de mudança e inovação é fulcral ter equipas que funcionem como pilares sólidos e agentes da estratégia